quinta-feira, 28 de abril de 2011

Encontro Internacional de Lisboa


Durante os dias 20 a 25 de Abril de 2011 a VITRIOL organizou, realizou uma recepção e proporcionou a um conjunto de pessoas oriundas de França, Bélgica e Portugal - cerca de 30 franceses e belgas e, 20 portugueses - um vasto programa de divulgação e promoção do património, da cultura, da língua, da lusofonia.

Foram efectuadas diversas visitas ao território e monumentos portugueses, com visitas guiadas, debates e transmissão de conhecimento sobre o Vale do Sado, Castelo e Cripta de Alcácer do Sal e as influências romanas, Sintra esotérica e simbólica, Vila de Sintra, Palácio da Vila, Palácio Valenças, ao tesouro Templário, Vila Nova da Barquinha, Castelo de Almourol, Convento de Cristo Tomar e naturalmente, Lisboa, cidade da Luz.

Esta organização teve por base a realização de um Encontro Internacional sobre o tema: CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS. Foram apresentados pelos presentes em representação das suas organizações vários trabalhos sobre o tema, um colóquio de debate e a conclusão da necessidade do aprofundamento e da garantia dos Direitos Humanos no Mundo.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Apresentação VITRIOL


Esta Associação com nome de Viagem, a viagem mais profunda dentro de nós, enquanto ser individual e colectivo, na senda de um Homem Novo, A VITRIOL, foi constituída a partir de um sonho: criar uma plataforma onde o estudo e a divulgação da língua e do património nacional, pudesse ser partilhada por um universo de pessoas que comungue dos mesmos princípios, no que respeita à valoração do conhecimento como factor de libertação do Homem.

Formalmente constituída no passado dia 02 de Março de 2011, é uma Instituição de direito privado, sem fins lucrativos, com natureza científico – cultural.

Pretende-se com a criação da VITRIOL estimular, apoiar e incentivar a realização de projectos de investigação científica e organizar eventos, conferências, workshops, acções de formação que viabilizem a informação e sensibilização da opinião pública para o desenvolvimento da língua e cultura portuguesa nas suas diversas expressões.

Por considerarmos que não existem associações “inócuas”, não poderemos deixar de expressar os princípios e valores primordiais que nos regem: o respeito por nós próprios e pelos outros, o livre pensamento, o respeito universal pelos direitos de cada indivíduo colectiva e individualmente, a fraternidade independentemente da raça, género, nacionalidade e crença - que consideram as concepções metafísicas como sendo do domínio exclusivo da apreciação de cada um; a recusa por toda a afirmação dogmática e de tirania, a defesa da mais elementar liberdade, justiça social, igualdade para proporcionar a todos os Cidadãos o acesso à língua e à cultura Portuguesa e ao mundo da Lusofonia.

Lisboa, 14 de Abril de 2011
Os Orgãos Sociais da Vitriol

quinta-feira, 7 de abril de 2011

O caminho das pedras


Sabe-se que as pedras falam.
São milénios de anos de História, concentradas nelas próprias, na sua origem e formação e tantos outros de a aprender a trabalhar: da pedra bruta à pedra trabalhada.

Foi um longo percurso, desde que o homem iniciou a edificação das suas casas e povoados com pedra sobre pedra seca, até que as cidades passaram a ter uma configuração regularizada, com pedra aparelhada, que os Romanos levaram a todo o Império.

E são alguns desses caminhos do tempo, da forma como o Homem honrou os seus mortos, como construi e se agremiou em povoados, em cidades ou criou lugares de crença e fé como as Igrejas ou conventos que estes circuitos nos falarão.

Tentar-se-á que estes circuitos se possam fazer durante um dia, no máximo dois, porque a logística implica uma maior organização de meios e recursos.

Propõe-se ainda que nestes passeios possam participar quem assim desejar, devendo escolher-se previamente o público a abranger.


Autor: M. F. Barata